[youtube https://www.youtube.com/watch?v=NXgsclVPudM&w=560&h=315]
Inspirada no mês de agosto, vamos falar sobre uma das coisas mais misteriosas da vida, que é a superstição. Neste mês tem sempre matéria na imprensa sobre agosto e as tragédias históricas para o país. Getúlio se matou, Jânio renunciou, Juscelino e Eduardo Campos morreram em acidentes, entre outros tantos exemplos…
Procurando por definições, achei essa de cara que adorei: Superstição é a crença sobre relações de causa e efeito que são contrárias à racionalidade. Ou seja, todas essas coisas que a gente faz achando que vão trazer sorte ou azar, não fazem o menor sentido, não obedecem a nenhuma lógica, a não ser a nossa crença!!
E o que me chama muita atenção é que, pra variar, as pessoas ficam muito mais impressionadas e amedrontadas com o tal do azar, da energia ruim, da maldade que com o poder equivalente da sorte, da boa energia e da bondade!!
Vê se não é assim… vou dar um exemplo: a Garage Modas, que me veste, uma coisa fácil, diga-se de passagem, porque com esse corpinho qualquer coisa fica bem, vende roupas novas e usadas. É um brechó chique muito legal!! Só peças em ótimo estado e diferentes como essa que eu estou usando, por exemplo!!
Conversando sobre isso com as proprietárias, elas disseram que tem gente que não compra roupa usada nem matando. Elas argumentam que a energia da pessoa que usava pode passar pra você. Ué, se você acredita nisso, porque a energia não pode ser boa e te fazer bem? Tem sempre que ser ruim por quê? Não tem jeito de neutralizar? Estamos à mercê disso sem armas?
E a roupa nova costurada por uma pessoa que trabalha em regime quase escravidão, não pode ter energia ruim? E aí? Resumo da ópera: a gente acaba usando a superstição como desculpa pra um monte de coisas, não?
Outro exemplo, o poder tal da primeira impressão. Pessoas que conhecem outras e já sabem se são do bem ou do mal, já sentem a energia de cara!! Essa capacidade em mim é zero, nula, não confio nada na minha primeira impressão. Às vezes vou super com a cara e com o tempo a pessoa se mostra chatona e por vezes acontece o contrário. Sou psicóloga, preciso conversar, conviver, conhecer, não tenho outro recurso! Quem consegue essa sacada é um ser especial?
Por outro lado, a superstição, a mística vem dar o molho do imponderável, do inexplicável, do imprevisível da vida… Se a gente tivesse controle de tudo a vida não teria a menor graça!! As superstições dão um colorido!! Mas obviamente tem limitações!! Sempre sugiro às pessoas que fazem concurso, que concorrem a prêmios, que vão fazer entrevista de emprego que se preparem muito, estudem bastante e, se o trevo, a medalhinha, a fitinha do Bonfim der segurança, leve e use, mas não deixe de se preparar porque não tem medalhinha que te faça passar em concurso se você não estudar, só medalhão, mas aí é de outro jeito que não legal…
Eu? Bom eu não sou nada supersticiosa…

Deixe um comentário